©  Tiago Silva - Psicologia e Psicoterapia | 2017

Rua Damião de Góis, n.º 9, R/C Esquerdo - Amora

Rua Candido dos Reis, n.º 503 - Seixal

+351 926 970 456

  • White Facebook Icon
  • White LinkedIn Icon
  • Twitter - White Circle
  • unnamed

A Psicologia Clínica

A felicidade é um problema individual. Aqui, nenhum conselho é válido. Cada um deve procurar, por si, tornar-se feliz.

(Sigmund Freud)

A Psicologia Clínica é a área de atuação da Psicologia que lida com a avaliação, diagnóstico e tratamento das Doenças Mentais.

 

Lightner Witmer, discípulo de Willhelm Wundt, foi o primeiro Psicólogo a usar o termo psicologia clínica, em 1907. Ele definiu a psicologia clínica do seguinte modo: “o estudo dos indivíduos, por observação ou experiência, com a intenção de promover mudanças”.

Hoje em dia, a Psicologia Clínica é uma das áreas mais procuradas para trabalhar pelos psicólogos recém formados.

 

Os psicólogos clínicos podem trabalham em hospitais, clínicas e consultórios particulares e em Universidades. Quando ainda estudantes, na Faculdade de psicologia, recebem treinamento aprofundado nas várias abordagens, teorias e técnicas disponíveis.

O que faz um Psicólogo Clínico?

 

O campo de atuação da Psicólogia Clínica é um dos maiores para a atuação do profissional da psicologia, incluindo:

– Saúde mental da criança, do adulto e da terceira idade

– Problemas de aprendizagem

– Distúrbios emocionais

– Abuso de álcool e drogas

– Psicologia da saúde mental

 

Embora os psicólogos clínicos estejamos inseridos no campo da saúde, em geral, e da saúde mental, em particular, é importante saber que os psicólogos não receitam remédios. Pela lei portuguesa, os psicólogos não podem receitar nenhum medicamento. Se há a necessidade do uso de alguma medicação, o psicólogo encaminha o paciente para o psiquiatra ou para o médico especialista.

Todos os Psicólogos que atuem na área da psicologia clínica têm ao seu dispor conhecimentos teóricos e técnicas que auxiliam na melhora do paciente.

Como digo: “Podemos não receitar remédios, mas as técnicas utilizadas por nós são baseadas em milhares de estudos laboratoriais e em evidências de sucesso anteriores desde o início do século passado”.

Podemos não saber exatamente como será o desenrolar de um tratamento e não podemos assegurar que os resultados esperados com certeza serão atingidos – mas temos a experiência profissional e a académica que nos dá uma sólida base para a prática clínica.

Psicanálise: que se baseia nas teorias de Sigmund Freud e colaboradores. No consultório, muitos utlizam o divã. O conceito mais fundamental é o de inconsciente.

Cognitivo-comportamental: que se baseia nas teorias do comportamentalismo (behaviorismo), de Skinner, por exemplo, e do cognitivismo. O psicólogo que utiliza esta abordagem busca entender o comportamento do paciente, com relação ao ambiente em que este vive e o modo como ele entende (e sente) a relação ambiente-comportamento.

Humanismo-existencialismo: que se baseia nas teorias de humanistas como Carl Rogers – com sua Terapia Centrada no Cliente – e Maslow. O objetivo é aceitar o paciente como ele é, e ao mesmo tempo, promover a realização de todo o seu potencial latente.